Os efeitos da poluição na nossa pele

A vida moderna, particularmente nos centros urbanos, propõe um estilo de vida bastante diferente do passado, com exposição a novos fatores ambientais como a poluição, tabaco, alimentação inadequada, estresse emocional, sono irregular e ritmo de vida acelerado.

Estudos comprovam que a exposição crônica a poluentes relacionados ao tráfego automotor está significativamente associada ao envelhecimento prematuro da pele, sendo o primeiro indício mais evidente da participação da poluição como mecanismo de envelhecimento.

As lesões pigmentadas, ou seja, escuras, são as lesões mais associadas a esse efeito.

O mecanismo que faz com que a poluição atinja nossa pele, se deve principalmente ao ozônio e às partículas sólidas, que causam uma alteração na nossa barreira cutânea e liberam citocinas responsáveis pelo nosso envelhecimento.

A poluição também esta intimamente relacionada ao desenvolvimento de pele sensível.

Os pacientes com esse tipo de pele, tornam-se mais predispostos ao desenvolvimento precoce do envelhecimento, em função do processo inflamatório crônico desenvolvido na pele.

Sendo assim tem crescido cada vez mais a procura por produtos que consigam combater ou pelo menos controlar esses efeitos.

O principal é o uso de substâncias antioxidantes, para prevenir e minimizar os efeitos oxidativos. Tanto o uso oral quanto o tópico são benéficos e, cada vez mais, encontramos cosméticos e nutracêuticos voltados para esse fim.

Entre os ingredientes presentes nesse tipo de produto, estão as vitaminas C e E, além de betacaroteno, melatonina, ácido ferúlico, chá verde, selênio, coenzima Q10, ácido alfa lipóico, licopeno e extratos naturais como os de cacau, cúrcuma, açafrão, uva, romã e soja, além de extratos de algas, entre outros.

 

Dra. Laís Cristina Pereira Dias
Dermatologista – U.Clinic
CRM 156.186 SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *